domingo, 8 de março de 2009


Das mãos solto carícias
que partem à desfilada
em ousadas corridas
pelo teu corpo em flôr
na tua boca um sorriso
desenhado em extâse
um doce murmurio
um grito de amor !
Caminhamos
pela madrugada
em noite de afectos
o olhar no infinito
colorindo o silêncio
num tom de paixão
os lábios semeando
um futuro de nós
um só corpo
um só coração

Tristão


7 comentários:

Vieira Calado disse...

É pelas madrugadas que melhor se olha o infinito, como diz!

Cumprimentos meus.

Menina do Rio disse...

Uma linda aquarela feita nas cores que antecedem o alvorecer...

Deixo o meu beijo

Osvaldo disse...

Um só corpo, um só coração...
Mas num corpo são, há lugar para muitos corações e muitas mais paixões.

Belo poema.

Um abraço
Osvaldo

tertulías disse...

Acho que uma postagem que fiz no dia 3 e marco lhe interessará ... muito... Adorei este seu espaco aqui. Que riqueza!

poetaeusou . . . disse...

*
sorrio
no silencio da noite
desenhando o infinito . . .
,
Saudações,
,
*

Multiolhares disse...

So um corpo só um coração são assim as almas gemeas
Beijo

Maria Clarinda disse...

Lindo...palavras...está tudo aqui fundido um só corpo=um só coração.
Jinhos