quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009


Em suas mãos
um cesto de flores
colhidas em fresca manhã
que desfolhou
espalhando o aroma
guardado em suas mãos
em suaves carícias
que o fizeram despertar
olhá-la
cobri-la de pétalas
respirar seu corpo em flor
saborear seu perfume
e ali
naquele jardim só deles
beijos derramaram
e saciaram a sede
fazendo brotar da saudade
uma nascente
de eterno amor


Isolda

7 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
pedro e ines,
romeu e julieta,
tristão e isolda,
as cinzas,
nas cinzas da vida (hoje)
,
brisas de amor, deixo,
,
*

Maria Clarinda disse...

(...) ali
naquele jardim só deles
beijos derramaram
e saciaram a sede
fazendo brotar da saudade
uma nascente
de eterno amor


Simplesmente lindo!!!!
Jinhos

mundo azul disse...

__________________________________


...bonito! Muito bonito esse poema...

Fico feliz quando leio bons poemas!

Beijos de luz e o meu carinho...

__________________________________

Vieira Calado disse...

Bem... o eterno amor!...

Que assim seja!

Agora vou estar ausente, uns dias.

Até lá!


Cumprimentos meus.

Menina do Rio disse...

Respirar o seu corpo em flor...aromas da paixão!

Um beijo
:)

marias disse...

E amaram-se naquele jardim feito de saudade!... :-)

Obrigada pela visita, gostei do que li e vou voltar por aqui.

Abraços

Multiolhares disse...

Muito bonita
sempre que o amor anda perto
tudo se torna belo
Bj